Pastor foi morto com 30 tiros

Pastor foi morto com 30 tiros

Publicado em

Governador revela que polícia investiga participação de filho adotivo no assassinato de marido de deputada


Deputada Flordelis no enterro do marido, no cemitério Memorial Parque Nycteroy, em Vista Alegre, São Gonçalo, onde um filho do casal foi preso pela polícia no fim da cerimônia | Evelen Gouvêa

O governador Wilson Witzel declarou nesta segunda-feira (17) que a Polícia Civil investiga a participação de um dos filhos da deputada federal e líder religiosa Flordelis (PSD-RJ) na morte do marido dela, o pastor Anderson do Carmo de Souza, 42 anos. “Ontem (domingo) estive com o secretário de Polícia Civil e ele me disse que há suspeita de que um dos filhos adotados, não sei se formalmente ou informalmente, teria praticado o crime. Agora está nessa linha de investigação da polícia”, afirmou o chefe do Executivo. 

A principal linha de investigação da Delegacia de Homicídios (DH) de Niterói é a de execução. Fontes da especializada não descartam a hipótese de que a morte do pastor Anderson tenha sido motivada por uma relação extraconjugal que teria sido descoberta. 

Polícia
Pastor foi morto com 30 tiros
 19.3K  434  13  
Anderson Justino em 17/06/2019 13:32
 
Governador revela que polícia investiga participação de filho adotivo no assassinato de marido de deputada
Deputada Flordelis no enterro do marido, no cemitério Memorial Parque Nycteroy, em Vista Alegre, São Gonçalo, onde um filho do casal foi preso pela polícia no fim da cerimônia
Evelen Gouvêa
O governador Wilson Witzel declarou nesta segunda-feira (17) que a Polícia Civil investiga a participação de um dos filhos da deputada federal e líder religiosa Flordelis (PSD-RJ) na morte do marido dela, o pastor Anderson do Carmo de Souza, 42 anos. “Ontem (domingo) estive com o secretário de Polícia Civil e ele me disse que há suspeita de que um dos filhos adotados, não sei se formalmente ou informalmente, teria praticado o crime. Agora está nessa linha de investigação da polícia”, afirmou o chefe do Executivo. 

A principal linha de investigação da Delegacia de Homicídios (DH) de Niterói é a de execução. Fontes da especializada não descartam a hipótese de que a morte do pastor Anderson tenha sido motivada por uma relação extraconjugal que teria sido descoberta. 
 
O laudo do Instituto Médico Legal (IML) aponta que corpo de Anderson tinha 30 perfurações de arma de fogo, a maior parte na região da virilha. As outras regiões atingidas foram peito, braços e cabeça. A polícia irá convocar para depor os 15 filhos mais velhos do casal, que estavam na casa na hora do crime.  

Durante o enterro do pastor Anderson, em São Gonçalo, agentes da DH prenderam um dos filhos biológicos da deputada Flordelis. De acordo com a especializada, Flávio dos Santos era considerado foragido da Justiça, acusado do crime de violência doméstica. No momento em que Flávio foi abordado pelos policiais, ele disse temer que as pessoas o associassem à morte do padrasto. “Vão pensar que fui eu”, declarou. Flavio passou a noite da carceragem da DH. Luciene Diniz Suzuki, advogada da família, revelou que todos já estavam cientes sobre o mandado de prisão contra Flávio. 

“Em relação ao pedido de prisão contra o Flávio, todos nós já sabíamos e até tínhamos feito o pedido de um habeas corpus e a revogação. Por ele ter sido preso no enterro do padrasto, estão veiculando que existe relação com o homicídio, mas não tem nada disso. A suposta vítima, ex-esposa dele, já entrou em contato com a família e disse que vai se retratar e retirar a queixa. Sobre essa possível desavença familiar [caso extraconjugal], não tive acesso a essa informação. Caso contrário, eu estaria sabendo. Desconheço desavença, mas eu não posso dizer se tinha ou não”, declarou.

Poucas horas após a confirmação da morte do pastor Anderson, a Polícia Civil já havia prendido outro filho, adotivo, do casal: Lucas dos Santos, de 18 anos. Contra ele existia mandado de prisão em aberto por tráfico de drogas e associação criminosa. Lucas foi levado ontem à tarde para uma unidade do Degase, já que o crime teria sido cometido quando ele era menor.  

Durante o enterro, a deputada Flordelis voltou a afirmar que o marido foi assassinado numa tentativa de assalto à residência da família.  

“É uma inverdade o que estão falando. É ridículo acusar alguém sem ter provas que confirmem tal caso. Ele morreu defendendo a família, é nisso que acredito, que foi um assalto e ele impediu que os bandidos entrassem em nossa casa”. 

Pastor Anderson foi morto em casa na madrugada de domingo, no Badu, Região de Pendotiba, em Niterói. Segundo Flordelis, o casal havia retornado de uma confraternização com amigos. Anderson teria ido na garagem para pegar algo que esqueceu quando houve o crime. A deputada disse ter escutado os disparos e logo depois encontrou o marido caído no chão. De acordo com a polícia, os cachorros da família foram dopados. Nenhum pertence foi roubado. 

Flordelis e o marido, Anderson, comandavam juntos o Ministério Flordelis Cidade do Fogo, no Mutondo
Arquivo / Lucas Benevides

Casal tinha missão de resgate

Nascida em 1961, Flordelis dos Santos de Souza conheceu o marido, o pastor Anderson do Carmo, em 1993, quando era missionária e realizava cultos na Favela do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, onde morava. Neste mesmo ano, ela decidiu interferir na história das vítimas do tráfico do Rio e, a pedido de famílias desesperadas, convenceu chefões e condenados pelo tráfico. A empreitada lhe rendeu, de cara, cinco filhos adotados. No ano seguinte, um bebê encontrado no lixo, e, um mês mais tarde, 37 sobreviventes da chacina da Central do Brasil. Hoje, já são 55 filhos (quatro deles biológicos).

“Eu tenho filhos que já casaram e outros que decidiram seguir a vida antes de casar, depois que ficaram maiores. Tiveram filhos que encontraram seus familiares em outros estados e viajaram, mas a maioria permanece comigo”, contou a mulher.

Ela e o marido comandavam juntos o Ministério Flordelis Cidade do Fogo, no Mutondo, em São Gonçalo – igreja sede, que se originou de reuniões num sobrado, ainda em meados de 1990, e que possui filiais espalhadas por Piratininga, Largo da Batalha, Santa Luzia e Itaboraí. Além de líder religiosa, Flordelis solta a voz em apresentações semanais. Mas nem os discos de ouro e platina conquistados ao longo da carreira afastaram Flordelis de sua missão.

“Mantenho um instituto com o meu marido para atender aos adolescentes que chegam aqui, da maioria das cracolândias, apadrinhados pelo tráfico. Consigo resgatá-los, coloco no instituto durante o dia, mas faço acompanhamento com as famílias e, à noite, eles retornam para as famílias. É mais para tirá-los do tráfico de drogas”, resume ela, que fundou o Instituto Flordelis de Apoio ao Menor em 2007.

Flordelis, de 58 anos, lançou-se como cantora em 1998. Mas foi no fim da primeira década dos anos 2000 que sua história foi parar na tela dos cinemas, num documentário que reuniu, de forma solidária, atores famosos. Com o título “Flordelis - Basta uma palavra para mudar”, o longa-metragem foi dirigido por Marco Antônio Ferraz e Anderson Corrêa e teve produção executiva do marido. Ana Furtado, Letícia Sabatella, Cauã Reymond, Bruna Marquezine, Alinne Moraes e Deborah Secco fizeram parte do elenco.

 A história e se baseia na juventude e início da vida adulta da agora deputada, que na última eleição para a Câmara, obteve 196.959 votos. Misael da Flordelis, um dos filhos biológicos, é vereador pelo PMDB em São Gonçalo, onde Fordelis chegou a anunciar sua candidatura à prefeitura nas últimas eleições. Ela eleições, cogitava, inclusive, disputar a próxima.

Quase mil acompanham enterro 

O velório do pastor Anderson do Carmo foi realizado na noite de domingo no Ministério Flordelis, na chamada Cidade do Fogo, no bairro Mutondo. Fiéis e lideranças religiosas acompanharam a cerimônia no templo com cantos e homenagens. Cerca de mil pessoas, entre parentes, amigos, autoridades políticas e líderes religiosos, estiveram presentes, na manhã desta segunda, no enterro, que aconteceu às 11h no Memorial Parque Nycteroy, no bairro Vista Alegre, em São Gonçalo. 

O sepultamento foi marcado por dor e comoção. Entre os presentes, estava o senador e amigo da família Arolde de Oliveira (PSD-RJ), que em seu discurso, prestou sua última homenagem ao pastor Anderson.

“E aqui se cumpre apenas a palavra. Do pó ao pó, onde todos nós acabaremos. Oh, Deus, muito obrigado. Em nome de Jesus Cristo abençoe a Flordelis, seus familiares, seus amigos mais próximos, para que tudo possa continuar segundo a tua vontade. Amém”.

A cantora gospel Bruna Karla lembrou que Anderson do Carmo era um grande incentivador de sua carreira e que conhecia a família há mais de 10 anos.

”Era uma pessoa com um coração incrível. Estava sempre me motivando a continuar. Ele era um grande incentivador para nós do mundo gospel. Vamos continuar de mãos dadas com a Flordelis”, disse.

Em sua página nas redes sociais a ministra de Estado da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, lamentou o caso.  

“Estou profundamente abalada com a notícia do assassinato do meu querido amigo e pastor Anderson Carmo, esposo da minha também amiga deputada @Flordelismk. Uma pessoa ímpar, exemplo para tanta gente. Pai de 56 filhos, a maioria adotivos”, escreveu a ministra.

Fonte: O Fluminense

Niterói Online 15/10/2019 às 06h10 Polícia

Veja Também

Comentários

Adicionar Comentário
sentiment_dissatisfied

Opsss... Ainda Não Temos Comentários Para Exibir!

Deixe Seu Comentário

Faça Sua Avaliação!